Quarta-Feira, dia 17 de Janeiro de 2018
Últimas Notícias
Política
Brasil
Economia
Cidades
Internacional
Esporte
Judiciário
Polícia
 
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos
Agenda de Eventos
Canal do Internauta
Artigos
 
Envie sua Matéria
Fale Conosco
 

 

últimas notícias

Nome:
E-mail:
Seu amigo:
E-mail dele:
Assunto:
Comentário:
Presidente da Câmara de Cuiabá descarta crise financeira
02/01/18 - 08:00 
Por: Janaiara Soares- A Gazeta

 

 Com um orçamento maior para 2018, o presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Justino Malheiros (PV), acredita que o Legislativo Municipal não terá que fazer demissões em massa mais uma vez. De acordo com o parlamentar, os quase R$ 52 milhões previstos na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2018 são suficientes para que a Casa trabalhe com fôlego no caixa.

 
Em outubro do ano passado, Justino teve que anunciar a exoneração de 481 servidores comissionados. A decisão, segundo ele, ocorreu em razão do cancelamento de uma suplementação de R$ 6,7 milhões para o Legislativo por determinação da Justiça. O recurso, ainda de acordo com o presidente, seria empregado no pagamento dos salários dos servidores, bem como dos encargos sociais e manutenção de serviços administrativos em geral. 
 
Depois de a Justiça barrar o repasse, por determinação do juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior, da Vara Especializada da Ação Civil Pública e Ação População, a Prefeitura de Cuiabá chegou a cogitar enviar um projeto de lei que autorizaria um novo montante: R$ 5,7 milhões. O prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), no entanto, acabou desistindo da ideia.
 
O motivo dos repasses de verba extra para a Câmara de Cuiabá foram colocados em dúvida porque ocorreram pouco tempo depois de a maioria dos vereadores se negar a assinar um requerimento de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra o prefeito.
 
Além da ação na Justiça estadual, uma representação interna de autoria do Ministério Público de Contas (MPC) também questionava o repasse de dinheiro. Nela, o MPC argumentava que o decreto que autorizava a medida apresentava indícios de ilegalidade e acabou sendo acatado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).
 
Outras matérias
08/01/18 10:10 Emanuel Pinheiro é cobrado pelo PMDB a discutir as eleições deste ano
08/01/18 08:49 'Quero ser reeleito', diz Wilson Santos ao negar articulação para o TCE
07/01/18 12:00 Prefeito decide aguardar licitação do VLT, mas ainda fala em plantar palmeiras
06/01/18 12:00 18 prisões preventivas contra João Arcanjo impedem regime semiaberto
06/01/18 11:00 Acusações complicam a recandidatura do governador de MT
06/01/18 13:12 PP quer chapa pura para deputados estaduais em MT
06/01/18 10:49 Defensores públicos vão ao STF cobrar duodécimos atrasados do Estado
06/01/18 10:13 AMM pede investigação sobre uso de recursos do Fundeb
05/01/18 15:24 Russi diz que demais Poderes ficam com quase 25% do FEX
02/01/18 09:15 Percival nega ter convidado Taques para se filiar ao PPS
02/01/18 07:00 Presidente da AMM acredita em recuperação
02/01/18 06:00 Doria cancela evento de inauguração de viaduto com nome de Dona Marisa
31/12/17 16:28 TSE terá composição mais 'linha-dura' durante a eleição
31/12/17 15:12 PSDB cobra mais espaço no governo de Taques
31/12/17 14:54 Camargo Corrêa devolverá R$ 80 milhões ao Estado
31/12/17 TJ rejeita pedido de R$ 12 milhões a hospitais
29/12/17 17:12 AMM critica não liberação do Auxílio Financeiro aos Municípios
29/12/17 11:23 Governo usa dinheiro do FEX para pagar fundos e fechar ano dentro da LRF
29/12/17 14:12 MPE denuncia casal e 2 pistoleiros por morte do prefeito de Colniza
29/12/17 11:00 Ministro do STJ revoga prisão de cabo Gerson Corrêa
Cadastre seu e-mail:
BR Informe é um portal independente de notícias.
Expediente | Seja um Colaborador | Fale Conosco