Sexta-Feira, dia 15 de Dezembro de 2017
Últimas Notícias
Política
Brasil
Economia
Cidades
Internacional
Esporte
Judiciário
Polícia
 
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos
Agenda de Eventos
Canal do Internauta
Artigos
 
Envie sua Matéria
Fale Conosco
 

 

política

Nome:
E-mail:
Seu amigo:
E-mail dele:
Assunto:
Comentário:
Prefeito contesta ONG que denunciou R$ 700 mi de contratos sem licitação
21/10/17 - 10:21 
Por: Janaiara Soares- Gazeta Digital

 

 O prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) disse que o levantamento apresentando na Câmara de Cuiabá afirmando que a sua gestão fez  R$ 700 milhões em contratos sem licitação não é verdadeiro. Ele considera o “alerta” feito pela organização não governamental Observatório Social como um meio de desestabilizar sua gestão.

 
“É desespero para tentar atacar uma gestão que preza pela responsabilidade fiscal, equilíbrio fiscal, paga salários rigorosamente no último dia útil do mês, paga contas em dia, preza o bem estar da população. É uma gestão equilibrada, modesta, proba. O portal da transparência tem tudo, não temos nada a esconder. Os contratos estão todos dentro da lei. Os modelos de licitação estão sendo respeitados. É uma denúncia infundada e vazia para tentar desestabilizar uma gestão que tem rumo”, disse o peemedebista.
 
A secretária de Gestão do Município, Ozenira Félix, ressaltou que os números não batem com os contratos da prefeitura. De acordo com a auditora aposentada do Tribunal de Contas da União (TCE), Elda Valim, que é voluntária na Ong, existe um levantamento que mostra que mais de R$ 700 milhões foram contratados nessa gestão, e só cerca de 10% foi licitado. “Temos mais de 200 contratos por adesão e apenas 10 licitações”, denunciou ela ao alertar os veradores para fiscalizarem a situação.
 
Ozenira nega e ressalta que os contratos feitos sem o processo licitatório foiram necessários no início da gestão. “Os números não são aqueles, hoje já fizemos na prefeitura de Cuiabá mais de R$ 1,3 bilhão em licitações. Deste total, apenas R$ 117 milhões foram por contratos de adesão. Quando o prefeito assumiu nós tínhamos vários contratos que estavam em vencimento e precisavam ser refeitos. Inicio de gestão tem os gargalos. Não foi aquele volume apresentado”.
 
Outras matérias
20/10/17 16:28 Delegada suspeita de venda de conversas grampeadas
20/10/17 13:00 Antonio Joaquim ingressa no PTB e assume presidência do partido
20/10/17 10:20 Delegada rebate críticas do MPE e defende legalidade de depoimento
09/10/17 12:12 Pedro Taques afirma que governo não parou
09/10/17 12:00 Coronel Airton Siqueira foi protegido de investigações dos grampos
09/10/17 09:56 Comissão de Ética da Assembleia Legislativa vai escolher corregedor
09/10/17 09:25 Municípios mato-grossenses estouram limites de gastos
09/10/17 08:09 MP vai analisar improbidade
02/10/17 09:00 Max Russi assume chefia da Casa Civil
01/10/17 11:00 Crise entre os poderes preocupa deputados
01/10/17 10:20 Secretário afirma que poderes devem ter compreensão quanto ao teto de gastos
30/09/17 12:00 Para garantir recursos à Saúde, AMM aciona secretaria na Justiça
27/09/17 09:45 PF vasculha escritório e casa de 2 advogados ligados a Fabris e Éder Moraes
27/09/17 09:40 Polícia prende dois Secretários de Pedro Taques
27/09/17 08:27 Em carta, Palocci pede desfiliação do PT e critica Lula
26/09/17 19:26 STF desmembra inquérito que investiga 6 deputados de MT
26/09/17 19:00 Defesa de Sílvio quer a prisão de Emanuel Pinheiro
26/09/17 10:58 Emanuel Pinheiro pede que Silval e Sílvio sejam reinterrogados
26/09/17 10:35 Maluf espera que Silval não consiga provar denúncias e se diz 'inocente'
26/09/17 10:26 Deputado mato-grossense é campeão em infidelidade partidária
Cadastre seu e-mail:
BR Informe é um portal independente de notícias.
Expediente | Seja um Colaborador | Fale Conosco