Terça-Feira, dia 18 de Setembro de 2018
Últimas Notícias
Política
Brasil
Economia
Cidades
Internacional
Esporte
Judiciário
Polícia
 
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos
Agenda de Eventos
Canal do Internauta
Artigos
 
Envie sua Matéria
Fale Conosco
 

 

brasil

Nome:
E-mail:
Seu amigo:
E-mail dele:
Assunto:
Comentário:
Funaro confirma pagamento de propina da JBS a Silval
16/09/17 - 11:23 
Por: Karine Miranda- Gazeta Digital

 

 O corretor de valores Lúcio Bolonha Funaro confirmou em sua delação premiada que grande parte dos lucros do grupo JBS é oriunda de fraudes e sonegação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e de incentivo fiscal obtido através de pagamento de propina a políticos de Mato Grosso.

 
Funaro está detido no presidio da Papuda, no Rio de Janeiro, e firmou delação com a Procuradoria Geral da República (PGR) em agosto. Além do pagamento de propina, foram fatores determinantes para o crescimento do grupo a oferta de crédito por parte de bancos públicos, segundo Funaro.
 
“Que entende que grande parte do lucro da JBS é relacionado ao esquema de fraude e sonegação do ICMS e o incentivo fiscal que ele conseguia através de pagamento de propina a políticos no Mato Grosso”, diz a delação.
 
A afirmação de Funaro confirma o que o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) também relatou em sua delação premiada, sobre a existência de um esquema envolvendo agentes públicos do Estado.
 
Conforme Silval, em 2009, quando já sabia que concorreria à reeleição para o Governo do Estado de Mato Grosso, começou a se preparar para angariar os recursos necessários para sua campanha e se aproximou do presidente do Grupo JBS à época, Wesley Batista.
 
Silval afirmou que viajou até São Paulo para tratar do aporte financeiro da campanha eleitoral em contrapartida ao auxilio de questões tributárias, já que a JBS possuía inúmeros plantas de frigoríficos no Estado.
 
Ficou acordado o pagamento do valor aproximado de R$ 3 milhões à campanha de Silval e que as doações seriam executadas através de “caixa não oficial”. Já depois de eleito, em 2011, Silval diz que acertou que Wesley pagaria propinas anuais.
 
Também ficou acordado que seriam realizadas reuniões anuais para aferir o valor devido das propinas pagas pelo Grupo JBS “para encontrar as soluções jurídico-fiscais para beneficiar a empresa, bem como de controlar os recebimentos dos 'retornos'.
 
Ainda segundo Silval, pouco antes da eleição ao Governo do Estado em 2014 foi identificado um "crédito" de R$ 12 milhões referentes aos valores devidos de propina dos anos de 2013 e 2014.
 
Foi através deste crédito que teria havido a doação à campanha de Pedro Taques ao governo do Estado em 2014. A doação teria sido feita "de forma oculta" pela JBS.
 
O governador Pedro Taques nega que tenha feito qualquer acordo com Silval Barbosa.
 
Outras matérias
20/02/18 08:20 Defesa questiona STF sobre data para julgamento de recurso de Lula
19/02/18 14:39 Gilmar cobra lei de abuso de autoridade sobre vazamento de investigação
19/02/18 12:19 Parlamentares vão ao STF para impedir suspensão de intervenção no RJ
19/02/18 11:23 Justiça Federal nega 47 pedidos de Cunha de uma só vez
15/02/18 10:15 Moro nega pedido de Lula para suspender perícia de sistema da Odebrecht
13/02/18 10:00 Justiça pede intervenção federal em MT
02/01/18 06:00 Doria cancela evento de inauguração de viaduto com nome de Dona Marisa
31/12/17 16:28 TSE terá composição mais 'linha-dura' durante a eleição
13/12/17 15:36 Congresso proíbe autofinanciamento de campanha
09/10/17 10:10 'Estilo Cármen Lúcia' de Dodge preocupa procuradores
02/10/17 09:56 Mais um secretário de Taques envolvido em escândalo
24/09/17 12:23 Moro nega liberação de R$ 1,6 mi a Palocci
17/09/17 17:17 Se Congresso não acabar com coligações, Justiça o fará, alerta deputada
17/09/17 16:35 Governo quer usar CPI da JBS para mudar lei das delações
16/09/17 10:39 Riva admite mais de R$ 100 mi em propinas, diz Veja
11/09/17 20:11 Senador de MT convoca Joesley e Janot para se explicarem no Congresso
11/09/17 15:00 Impeachment de Gilmar Mendes tem o apoio de quase um milhão em petição virtual
11/09/17 13:08 Futuro da delação da JBS pode ficar nas mãos de Raquel Dodge
11/09/17 11:49 Joesley diz que só entrega novas fitas caso acordo se mantenha
06/09/17 10:20 Gilmar Mendes diz que Mato Grosso vive desordem institucional
Cadastre seu e-mail:
BR Informe é um portal independente de notícias.
Expediente | Seja um Colaborador | Fale Conosco