Segunda-Feira, dia 10 de Dezembro de 2018
Últimas Notícias
Política
Brasil
Economia
Cidades
Internacional
Esporte
Judiciário
Polícia
 
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos
Agenda de Eventos
Canal do Internauta
Artigos
 
Envie sua Matéria
Fale Conosco
 

 

brasil

Nome:
E-mail:
Seu amigo:
E-mail dele:
Assunto:
Comentário:
Defesa questiona STF sobre data para julgamento de recurso de Lula
20/02/18 - 08:20 
Por: Redação

 
No último dia 9, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, negou habeas corpus ao ex-presidente, mas enviou a questão sobre a prisão dele para julgamento no plenário da Corte

 A defesa do ex-presidente Lula enviou petição ao Supremo Tribunal Federal (STF), nessa segunda-feira (19), questionando sobre a data de julgamento do recurso que tenta impedir uma eventual prisão do petista, após condenação em segunda instância na Justiça Federal. As informações constam no site do PT.

 
No último dia 9, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, negou habeas corpus a Lula, mas enviou a questão sobre a prisão para julgamento no plenário da Corte. Ao negar o habeas corpus, o ministro entendeu que o caso de Lula não pode ser analisado por ele antes de uma decisão definitiva do Superior Tribunal de Justiça (STJ).
 
A defesa de Lula pretende derrubar a decisão do vice-presidente do STJ, ministro Humberto Martins, que negou pedido para impedir a eventual execução provisória da condenação do ex-presidente, após o último recurso que será julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), sediado em Porto Alegre.
 
Martins entendeu que a decisão do TRF4 garantiu que Lula não será preso antes da apreciação do último recurso, e, dessa forma, não há urgência que justifique a concessão da medida cautelar.
 
Impasse no STF
 
Ao justificar o envio da questão ao plenário da Corte, Fachin entendeu que há necessidade de prevenir divergência sobre as prisões em segunda instância entre as duas turmas da Corte.
 
“Há, portanto, relevante questão jurídica e necessidade de prevenir divergência entre as Turmas quanto à questão relativa à possibilidade de execução criminal após condenação assentada em segundo grau de jurisdição”, justificou. As informações são da Agência Brasil.
 
À época, em nota, a defesa de Lula disse que espera que o caso seja pautado o mais rápido possível. “A decisão proferida hoje pelo ministro Edson Fachin dará ao plenário do Supremo Tribunal Federal a oportunidade de aplicar a Constituição Federal, especialmente no que se refere à garantia da presunção de inocência até decisão final da qual não caiba mais recurso”, disseram os advogados que defendem o ex-presidente.
 
Neste novo julgamento no plenário do STF, sobre a prisão após decisão em segunda instância, o resultado vai depender do entendimento da ministra Rosa Weber. Em 2016, nos dois julgamentos sobre a questão, a ministra se manifestou contra a execução provisória da pena, mas, recentemente, sinalizou que poderia mudar seu entendimento. Será a terceira vez que o plenário vai analisar o caso.
 
O cenário atual na Corte é de impasse sobre a questão. Os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Rosa Weber, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio e Celso de Mello são contra a execução imediata ou entendem que a prisão poderia ocorrer após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Já os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Alexandre de Moraes e a presidente, Cármen Lúcia, são a favor do cumprimento após a segunda instância. Se esse cenário se mantiver, o placar da votação seria de 6 votos a 5 contra a prisão, fato que beneficiaria Lula.
 
Outras matérias
19/02/18 14:39 Gilmar cobra lei de abuso de autoridade sobre vazamento de investigação
19/02/18 12:19 Parlamentares vão ao STF para impedir suspensão de intervenção no RJ
19/02/18 11:23 Justiça Federal nega 47 pedidos de Cunha de uma só vez
15/02/18 10:15 Moro nega pedido de Lula para suspender perícia de sistema da Odebrecht
13/02/18 10:00 Justiça pede intervenção federal em MT
02/01/18 06:00 Doria cancela evento de inauguração de viaduto com nome de Dona Marisa
31/12/17 16:28 TSE terá composição mais 'linha-dura' durante a eleição
13/12/17 15:36 Congresso proíbe autofinanciamento de campanha
09/10/17 10:10 'Estilo Cármen Lúcia' de Dodge preocupa procuradores
02/10/17 09:56 Mais um secretário de Taques envolvido em escândalo
24/09/17 12:23 Moro nega liberação de R$ 1,6 mi a Palocci
17/09/17 17:17 Se Congresso não acabar com coligações, Justiça o fará, alerta deputada
17/09/17 16:35 Governo quer usar CPI da JBS para mudar lei das delações
16/09/17 11:23 Funaro confirma pagamento de propina da JBS a Silval
16/09/17 10:39 Riva admite mais de R$ 100 mi em propinas, diz Veja
11/09/17 20:11 Senador de MT convoca Joesley e Janot para se explicarem no Congresso
11/09/17 15:00 Impeachment de Gilmar Mendes tem o apoio de quase um milhão em petição virtual
11/09/17 13:08 Futuro da delação da JBS pode ficar nas mãos de Raquel Dodge
11/09/17 11:49 Joesley diz que só entrega novas fitas caso acordo se mantenha
06/09/17 10:20 Gilmar Mendes diz que Mato Grosso vive desordem institucional
Cadastre seu e-mail:
BR Informe é um portal independente de notícias.
Expediente | Seja um Colaborador | Fale Conosco