Segunda-Feira, dia 18 de Novembro de 2019
Últimas Notícias
Política
Brasil
Economia
Cidades
Internacional
Esporte
Judiciário
Polícia
 
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos
Agenda de Eventos
Canal do Internauta
Artigos
 
Envie sua Matéria
Fale Conosco
 

 

polícia

Nome:
E-mail:
Seu amigo:
E-mail dele:
Assunto:
Comentário:
MP adquiriu mais uma placa de escuta, mesmo após implantar o Sistema Guardião
08/08/19 - 17:00 
Por: Gazeta Digital

 Ministério Público (MP) de Mato Grosso adquiriu mais uma placa Wytron mesmo após ter substituído o sistema de interceptações telefônicas pelo Sistema Guardião em 2007.

 
Um levantamento feito pelo  mostra que logo após o então procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, ter adquirido o Sistema Guardião por R$ 413 mil, em 6 de dezembro de 2006, uma nova placa Wytron foi comprada no dia 4 de abril de 2007, no valor de R$ 34.6 mil.
 
"A Comissão de Licitação da Procuradoria Geral de Justiça, designada pela Portaria nº 426/2006-PGJ, publicada no Diário Oficial do Estado edição do dia 25/08/2006, em nome da Procuradoria Geral de Justiça do Estado de Mato Grosso, considerando estarem presentes, nos autos, os pressupostos autorizativos da legislação que rege a matéria, decide e torna pública, para conhecimento de todos, a contratação por DISPENSA DE LICITAÇÃO, destinada a aquisição de placa Wytron,em favor da WYTRON TECHNOLOGY CORPORATION LTDA, inscrita no CNPJ nº04.708.410/0001-42. O valor da contratação é de R$ 34.620,00(trinta e quatro mil, seiscentos e vinte reais). A presente dispensa esta fundamentada nos termos do artigo 24, inciso IV c/c artigo 25, inciso I, da Lei nº 8.666/93", diz o ato de dispensa de licitação publicada naquela data em Diário Oficial do Estado.
 
O curioso é que o Sistema Guardião foi adquirido por ser considerado bem mais eficaz que as placas Wytron, que foram "aposentadas" após a implementação do Guardião. Mesmo assim o MP decidiu comprar mais uma placa Wytron.
 
Contradições
 
Em nota, o Ministério Público afirma que a placa Wytron adquirida em 2007 era de 32 canais, composta de duas placas de 16 canais, e que seriam estas que foram cedidas para a Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso em abril de 2010.
 
Porém, conforme o  apurou, em depoimento ao vice-corregedor do MP, João Borges Veras Gadelha, o cabo da PM Gerson Corrêa Júnior contestou a informação de que as placas cedidas à Sesp em 2010 seria esta que foi adquirida em 2007.
 
O cabo teria dito que as placas fornecidas eram as que estavam em funcionamento antes da implementação do Sistema Guardião, e que a placa adquirida em 2007, nunca teria sido utilizada dentro do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco).
 
Em 2017, quando o esquema da "grampolândia panataneira" veio à tona, o então procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo, disse à imprensa que, antes do Guardião, o Gaeco possuía a Solução Wytron para gravação telefônica, que funcionava por meio de um Kit de canais de gravação.
 
“Fizemos um levantamento e verificamos que em 30 de março de 2007, antes da substituição do Sistema Wytron, as placas então existentes, devido à queima, foram substituídas por uma única placa de 32 canais, a qual difere das duas placas mencionadas na investigação como sendo as utilizadas no "grampolândia pantaneira'”, disse Curvo a época.
 
As declarações de Curvo não são as mesmas informadas pela atual administração do MP, que decidiu investigar todas as acusações contra os seus membros.
 
No próximo dia 12 de agosto, a Dígitro, empresa responsável pela fabricação e manutenção do Sistema Guardião, estará em Cuiabá para fazer a verificação de rotina do sistema. O chefe do MP, José Antônio Borges também definirá a auditoria que será feita no Guardião para apurar possíveis irregularidades.
 
Veja a nota do MP
Informações sobre a demanda da placa: De acordo com informações Instituição, em abril de 2007 o Ministério Público adquiriu o Sistema Wytron de 32 canais, composto de duas placas de 16 canais que, posteriormente, foram cedidas à Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).
Esclarece, ainda, que no processo de aquisição desse sistema consta declaração do cabo Gérson Correia, que à época atuava no Gaeco, afirmando que as placas que estavam em funcionamento tinham “queimado”. A instituição está promovendo o levantamento manual de processos anteriores à declaração do policial, para saber quando essas placas citadas que teriam “queimado” foram adquiridas.
 
Outras matérias
07/08/19 18:19 Caminhoneiro é preso transportando madeira de Pequi em Rondolândia
03/07/19 11:24 Gefron apreende 9 tabletes de cocaína e prende dois suspeitos
15/04/19 14:39 Gefron apreende 90 kg de pasta base de cocaína
20/02/19 09:03 Perícia esclarece pontos de acidente que matou dois jovens
17/09/17 11:10 Número de roubos de aparelho celular em MT cai 28%
18/06/17 17:25 PM prende um e recupera quase 280 diamantes roubados em Guiratinga
17/06/17 10:30 Rotam prende cinco e apreende 107 tabletes de pasta base de cocaína
Cadastre seu e-mail:
BR Informe é um portal independente de notícias.
Expediente | Seja um Colaborador | Fale Conosco