Segunda-Feira, dia 17 de Fevereiro de 2020
Últimas Notícias
Política
Brasil
Economia
Cidades
Internacional
Esporte
Judiciário
Polícia
 
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos
Agenda de Eventos
Canal do Internauta
Artigos
 
Envie sua Matéria
Fale Conosco
 

 

brasil

Nome:
E-mail:
Seu amigo:
E-mail dele:
Assunto:
Comentário:
Chefe do MPE se reúne com empresa para definir auditoria no Sistema Guardião
07/08/19 - 20:15 
Por: Gazeta Digital

 

 Está marcado para segunda-feira (12) a reunião entre o procurador-geral de Justiça, José Atônio Borges, e os representantes da Dígitro Tecnologia Ltda, para definir a auditoria no Sistema Guardião, responsável pelas intercptações telefônicas e e-mails do Ministério Público (MP) de Mato Grosso.

 
"Eles estarão aqui para realizar a manutenção periódica do Sistema Guardião, e vamos aproveitar para definir um prazo para que a auditoria que solicitamos seja feita", disse o chefe do Ministério Público do Estado (MPE), alegando que quer o resultado o mais rápido possível.
 
"Desde que essas acusações chegaram, nós determinamos uma investigação completa no que foi falado e estamos virando o MPE de cabeça pra baixo para apurar tudo e trazer uma resposta a sociedade", completou.
 
A Dígitro é a empresa que desenvolve o Sistema Guardião no país. O MPE adquiriu os equipamentos em dezembro de 2006, por inexigibilidade de licitação, ao custo de R$ 413 mil.  Atualmente o custo da manutenção do Guardião está e torno de R$ 150 mil.
 
O sistema
 
O Guardião é um sistema de software e hardware fabricado exclusivamente pela Dígitro, de Santa Catarina, com tecnologia própria e  é capaz de gravar simultaneamente centenas de ligações.
 
Segundo a empresa, o sistema é desenvolvido de acordo com as necessidades do cliente e o preço varia. Por isso não podem dizer quanto custa um Guardião.
 
Acusações
 
O pedido de auditoria ocorreu após os últimos depoimentos do militares na 11ª Vara Militar de Cuiabá, onde acusaram o Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de utilizar em diversas operações interceptações telfônicas via "barriga de aluguel", ou seja, números de pessoas foram inseridos em decisões para investigar outros crimes sem a participação dessas pessoas.
 
Outras matérias
01/05/19 10:45 Permissão para gestante trabalhar em atividade insalubre é suspensa
30/04/19 19:20 Ford fecha acordo para demissão de funcionários de fábrica em SP
30/04/19 14:27 MEC cortará verba de universidades por 'balbúrdia'
30/04/19 08:51 Autora de vídeo que expôs professora é secretária do PSL
16/04/19 21:08 Bolsonaro alfineta STF: 'Favorável à liberdade de expressão'
16/04/19 19:58 Moro sobre projeto anticrime: 'Governo não pode agir como uma avestruz'
16/04/19 17:55 Villas Bôas critica postura de Olavo de Carvalho: "Lamentável"
16/04/19 10:16 STF ordena PF a fazer buscas em dez alvos do inquérito de fake news
16/04/19 09:43 Maia diz que foi "elogio" ter sido chamado de 'primeiro-ministro'
15/04/19 13:12 STF manda revista e site excluírem reportagem que cita Dias Toffoli
15/04/19 14:08 Procuradoria quer investigação sobre propinas para políticos do MDB
15/04/19 13:46 Carlos Bolsonaro empregou assessor ligado a Queiroz
15/04/19 13:05 Globo detona Bolsonaro e diz que Presidente mentiu sobre saída de Vélez
15/04/19 09:28 Doria quer 'faxina' e mudar nome do PSDB
21/02/19 08:05 Da penitenciária à plantação de teca, recuperandos ganham nova chance em Água Boa
20/02/18 08:20 Defesa questiona STF sobre data para julgamento de recurso de Lula
19/02/18 14:39 Gilmar cobra lei de abuso de autoridade sobre vazamento de investigação
19/02/18 12:19 Parlamentares vão ao STF para impedir suspensão de intervenção no RJ
19/02/18 11:23 Justiça Federal nega 47 pedidos de Cunha de uma só vez
15/02/18 10:15 Moro nega pedido de Lula para suspender perícia de sistema da Odebrecht
Cadastre seu e-mail:
BR Informe é um portal independente de notícias.
Expediente | Seja um Colaborador | Fale Conosco