Segunda-Feira, dia 18 de Dezembro de 2017
Últimas Notícias
Política
Brasil
Economia
Cidades
Internacional
Esporte
Judiciário
Polícia
 
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos
Agenda de Eventos
Canal do Internauta
Artigos
 
Envie sua Matéria
Fale Conosco
 

 

economia

Nome:
E-mail:
Seu amigo:
E-mail dele:
Assunto:
Comentário:
Marechal Rondon vai ser privatizado
16/09/16 - 07:45 
Por: Redação
Fonte: Diário de Cuiabá

 
Governo venderá mais 10 terminais, em lotes que reúnem operações lucrativas e deficitárias

O aeroporto Marechal Rondon, de Cuiabá, está na lista dos 10 aeroportos que serão oferecidos pelo Governo Federal à iniciativa privada em nova rodada de privatização do setor, previsto para o segundo semestre de 2017. 

O governo tem pronta uma lista de dez aeroportos para serem concedidos ao setor privado na nova rodada de privatização do setor, a partir do segundo semestre de 2017 — após o leilão dos quatro já anunciados (Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Florianópolis). Os próximos são Curitiba, Recife, Belém, Vitória, Goiânia, Cuiabá, Manaus, Maceió, São Luís e Foz do Iguaçu. A novidade dessa vez será a licitação em blocos: quem arrematar o filé terá de ficar também com o osso, na proporção de um lucrativo para até três deficitários. Podem ser incluídos, neste caso, Jacarepaguá (Rio), Pampulha (Belo Horizonte) e Juiz de Fora (MG), por exemplo. A nova modelagem trata também do futuro da Infraero que seria transformada numa holding — com a criação de uma subsidiária de capital aberto, juntando os principais ativos da estatal, que são os terminais de Santos Dumont e Congonhas. 
 
Segundo o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, os quatro aeroportos que estão em processo de concessão serão os últimos a serem leiloados individualmente. Ele disse que estudos realizados pelo governo mostram que a concessão por blocos tem viabilidade e considera o sistema aeroportuário brasileiro como um todo. 
 
“Esse é o caminho, mas não é o único, porque estamos buscando uma solução para a Infraero, que vai continuar existindo por uma questão estratégica, mas tem que voltar a ter lucro. Pode ser adotado um modelo híbrido” — disse o ministro. 
 
De acordo com técnicos que participam das discussões, a Infraero teria o tamanho reduzido, sendo mantidos na rede da estatal apenas aeroportos de médio porte, como Campo Grande (MS), Navegantes(SC), João Pessoa (PB), Aracaju(SE), Teresina(PI), Uberlândia(MG), Londrina(PR), dentre outros. A proposta prevê que um grupo de 37 aeroportos pequenos seja repassado ao poder local e concedido ao setor privado. 
 
“A rede administrada atualmente pela Infraero é muito heterogênea, com aeroportos que movimentam entre 50 mil e 20 milhões de passageiros por ano, o que torna a sua estrutura pesada, dificulta a governança e, consequentemente, a obtenção de melhores resultados”, explicou um técnico, acrescentando que o número de funcionários, atualmente em 11,4 mil deverá cair para 7.000. 
 
Ele destacou que, até o momento, os estudos indicam que Santos Dumont e Congonhas deverão ser mantidos na rede da estatal, porque são as duas joias da coroa, mas apartados da empresa tradicional para atrair sócios privados. A tendência é que a estatal seja majoritária no negócio (a participação do sócio privado ainda está sendo definida e pode chegar a 49%). Não há espaço para grandes ampliações nos dois aeroportos, mas a avaliação é que existe potencial para elevação nas receitas, principalmente comerciais, pois o governo avalia que a estatal não explora os dois terminais adequadamente, ficando limitada à cobrança de tarifas aeroportuárias. 
 
“Se você simplesmente privatizar Congonhas e Santos Dumont, você quebra a Infraero. A vantagem de se adotar um modelo híbrido é que você traz uma fonte de receitas para que a estatal possa investir nos demais (terminais)”, explicou o técnico. 
 
PREJUÍZOS EM SÉRIE 
 
Pelos cálculos do governo, com as medidas adotadas pela Infraero, como plano de demissão voluntária de funcionários, a empresa voltará a ter lucro de R$ 110 milhões em 2017 — já considerando que vai entregar ao setor privado os quatro aeroportos (Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Florianópolis). Mas o resultado é insuficiente para que a estatal faça investimentos necessários na rede, apenas serviços de manutenção. 
 
Desde que perdeu seis aeroportos para o setor privado (Natal, Brasília, Guarulhos, Viracopos, Galeão e Confins), a Infraero vem dando prejuízo. De acordo com dados da estatal, depois de lucro de R$ 114,6 milhões em 2012, foram registrados prejuízos de R$ 2,6 bilhões em 2013; R$ 2 bilhões em 2014 e R$ 3 bilhões em 2015. 
 
Além da nova subsidiária, ficarão debaixo da holding a Infraero Serviços (parceria com a alemã Fraport) e a Infraero Participações (que reúne as fatias da estatal nos aeroportos concedidos, que é de 49%). Os estudos estão em fase final e serão entregues ao presidente Michel Temer, já com os encaminhamentos, ainda este ano. 
 
De acordo com a avaliação dos técnicos que participam do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), são considerados superavitários, atualmente, os aeroportos de Jacarepaguá, Vitória, Manaus, Santos Dumont e Curitiba, por exemplo. Estão na zona limítrofe de rentabilidade, Goiânia, Congonhas e Navegantes. Entre os deficitários (em menor grau) estão Macaé, Joinville, Recife, Bacacheri e Foz do Iguaçu, dentre outros. A classificação foi feita com base em resultado (receita), sem depreciação e remuneração. 
 
 
Outras matérias
20/09/17 10:42 Dono de frigorífico grava irmãos Batista em MT
19/06/17 14:09 Reformas mostram resultados positivos, diz presidente do Banco Central
19/06/17 13:36 Trabalhadores têm até 30 de junho para sacar o abono salarial de 2015
19/06/17 10:19 Procuradoria regulamenta MP que parcela débitos previdenciários
19/06/17 09:13 Mercado financeiro reduz projeção para inflação e PIB
19/05/17 19:30 Mato Grosso será pioneiro em produção de etanol de milho
11/05/17 19:39 Petrobras tem lucro de R$ 4,4 bilhões no primeiro trimestre
23/03/17 18:00 Governo lançará programas para alavancar o setor mineral
03/11/16 05:00 Governo federal ficará com R$ 38,5 bi de recursos da repatriação, diz Meirelles
18/10/16 06:50 Maggi reclama de protecionismo
21/09/16 06:28 Governo tem compromisso com o ajuste fiscal
21/09/16 09:30 Empresas investigadas dão prejuízo de R$ 20 bilhões à Petrobras
19/09/16 09:30 Governo espera arrecadar R$ 150 milhões com o Refis
16/09/16 08:55 Governo formaliza parceria com a China para construção de ferrovia
16/09/16 08:25 Blairo Maggi busca ampliar mercados em Myanmar e Vietnã
13/09/16 07:50 PGE vai ao STF para que União seja impedida de penalizar MT
13/09/16 07:09 Valter Albano crê em convergência nos momentos de crise
16/05/16 08:16 Gol oferece garantia colateral de US$ 223 mi em sua oferta de troca
15/05/16 13:05 Condições em edital para aeroportos propiciam competitividade
15/05/16 12:12 Entenda a crise econômica que assola o Brasil
Cadastre seu e-mail:
BR Informe é um portal independente de notícias.
Expediente | Seja um Colaborador | Fale Conosco