InfoJud 728x90

PGR denuncia Wilson Witzel e mais 11 pessoas por organização criminosa

Por Redação em 14/09/2020 às 18:45:24

Governador afastado é acusado pelo MP de liderar uma organiza√ß√£o criminosa para desviar recursos públicos. Primeira-dama Helena Witzel também foi denunciada. Wilson Witzel, afastado do governo do RJ após denúncia de corrup√ß√£o e lavagem de dinheiro

Wilton Junior/Estad√£o Conteúdo

A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou ao Superior Tribunal de Justi√ßa (STJ) pela segunda vez, nesta segunda-feira (14), o governador afastado do Rio de Janeiro Wilson Witzel.

Desta vez, ele é apontado como líder de uma organiza√ß√£o criminosa que teria montado um esquema para o desvio de recursos públicos.

Além de Witzel, foram denunciados:

Helena Witzel, primeira-dama;

pastor Everaldo Pereira, presidente nacional do PSC;

Edmar Santos, ex-secret√°rio de Saúde;

Lucas Trist√£o, ex-secret√°rio Desenvolvimento Econômico;

Gothardo Netto, ex-prefeito de Volta Redonda;

Edson Torres, empres√°rio;

Victor Hugo Barroso, doleiro;

Nilo Francisco da Silva Filho;

Cl√°udio Marcelo Santos Silva;

José Carlos de Melo, e

Carlos Frederico Loretti da Silveira.

A denúncia aponta o governador afastado Wilson Witzel como chefe de uma organiza√ß√£o criminosa lastreada em três principais pilares.

PGR chegou a pedir prisão de Witzel em operação no fim de agosto; STJ determinou apenas afastamento do cargo

O primeiro grupo seria encabe√ßado por Mario Peixoto. O segundo, por Pastor Everaldo, Edson Torrres e Victor Hugo Barroso. E por fim, o terceiro grupo seria comandado por José Carlos de Melo.

O documento é assinado pela subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo.

"Nesse diapas√£o, a organiza√ß√£o criminosa, somente com esse esquema ilícito de contrata√ß√£o de organiza√ß√Ķes sociais na √°rea de saúde, tinha por pretens√£o angariar quase R$ 400 milh√Ķes de valores ilícitos, ao final de quatro anos, na medida em que objetivava cobrar 5% de propina de todos os contratos", diz a denúncia.

Além da condena√ß√£o penal, o MP pede que Wilson Witzel perca o cargo de governador do Rio em definitivo. Também quer que os denunciados sejam condenados a pagar indeniza√ß√£o de, no mínimo, R$ 100 milh√Ķes.

Wilson Witzel aguarda decis√£o do STF para tentar voltar ao cargo de governador

Suspeita de desvios

A decis√£o que levou ao afastamento do governador faz parte da opera√ß√£o Tris In Idem, que investiga irregularidades e desvios em recursos da saúde do Rio de Janeiro. A primeira denúncia ao STJ foi feita pelo Ministério Público Federal no √Ęmbito dessa opera√ß√£o.

A PGR afirma que o governo do RJ estabeleceu um esquema de propina para a contrata√ß√£o emergencial e para libera√ß√£o de pagamentos a organiza√ß√Ķes sociais (OSs) que prestam servi√ßos ao governo, especialmente nas √°reas de Saúde e Educa√ß√£o.

A suspeita é de que o governador tenha recebido, por intermédio do escritório de advocacia de sua mulher pelo menos R$ 554,2 mil em propina. O MPF descobriu transferência de R$ 74 mil de Helena Witzel para a conta pessoal do governador.

A descoberta do esquema criminoso teve início com a apura√ß√£o de irregularidades na contrata√ß√£o dos hospitais de campanha, respiradores e medicamentos para o enfrentamento da pandemia do coronavírus.

Witzel tem dito que jamais cometeu atos ilícitos, n√£o recebeu valores desviados dos cofres públicos e que continuar√° trabalhando para "demonstrar a verdade".

Veja vídeos sobre o afastamento de Witzel do governo do Rio:

Fonte: G1

Agro Noticia 728x90
Coronavirus 728x90