InfoJud 728x90

Defesas de Lula e de Paulo Okamotto afirmam 'ilegalidade' da força-tarefa após denúncia na Lava Jato

Por Redação em 14/09/2020 às 20:46:25

Ex-presidente, Okamotto e Palocci foram denunciados pelo MPF por lavagem de dinheiro, nesta segunda-feira (14), em uma ação envolvendo doações da Odebrecht ao Instituto Lula. Veja o que diz a defesa dos envolvidos na denúncia contra Lula, Palocci e Paulo Okamoto

As defesas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, apontaram ilegalidades nas denúncias da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, pelo Ministério Público Federal (MPF).

Lula, Okamotto e o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci foram denunciados, nesta segunda-feira (14), pelos procuradores do Paraná, pelo crime de lavagem de dinheiro, em uma ação envolvendo doações da Odebrecht ao Instituto Lula.

De acordo com a denúncia, as doações foram utilizadas para disfarçar repasses no total de R$ 4 milhões, entre dezembro de 2013 e março de 2014.

Segundo Cristiano Zanin, advogado de Lula, "a Lava Jato mais uma vez recorre a acusações sem materialidade contra seus adversários, no momento em que a ilegalidade de seus métodos em relação a Lula foi reconhecida recentemente em pelo menos três julgamentos realizados pelo Supremo Tribunal Federal".

Ex-presidente Lula foi denunciado pela força-tarefa da Lava Jato por lavagem de dinheiro, nesta segunda-feira (14)

Adriano Machado/Reuters

O advogado Fernando Augusto Fernandes, da defesa de Okamotto, destacou que o objetivo social do Instituto é a preservação da memória e do arquivo, assim como de Fernando Henrique e de Obama.

"O Ministério Público de Curitiba repete a mesma ilegalidade. A defesa espera que não seja recebida essa repetição de fatos jurídicos já apreciados com nova roupagem", disse.

Esta reportagem está em atualização.

Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.

Fonte: G1

Agro Noticia 728x90
Coronavirus 728x90