InfoJud 728x90

Filho de empresário morto em posto de combustíveis presta depoimento à polícia em Quatro Barras: 'Nunca vou esquecer'

Por Redação em 25/11/2020 às 14:50:35

Crime aconteceu quarta-feira (18), na Região Metropolitana de Curitiba, após uma discussão, segundo testemunhas. Para a polícia, depoimento de filho contradiz versão do vigilante suspeito de efetuar os disparos. Avançam investigações da morte em Posto de Combustíveis em Quatro Barras

O filho do empresário Rodrigo Andreatta Ribeiro, que foi assassinado a tiros no posto de combustíveis da família na última quarta-feira (18), em Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba, prestou depoimento à Polícia Civil nesta quarta-feira (25).

Leonardo Andreatta estava com o pai quando ele foi baleado por um vigilante que fazia a escolta armada de um ônibus.

"Eu fui correndo ajudar, mas fui surpreendido por ele apontar a arma para mim e dizer para eu sair de perto ou ele atiraria. Tive que correr até o posto e chamar gente para pegar o corpo do meu pai e colocar no carro para prestar socorro, mas infelizmente ele faleceu no local. Eu vi tudo e são coisas que nunca vou me esquecer", disse Leonardo.

Segundo a Polícia, o depoimento do filho trouxe informações importantes para o caso e que contradizem a versão dada pelo vigilante Luis Henrique de Oliveira, suspeito do crime.

De acordo com o superintendente da PC, Job de Freitas, o filho do empresário afirmou que o segurança disparou duas vezes contra o pai e ainda o ameaçou quando tentou prestar socorro à vítima.

Ainda segundo o superintendente da Polícia, o vigilante havia alegado em depoimento que atirou apenas uma vez no empresário e que o fato de Luis Henrique ter impedido o socorro à vítima torna o crime mais grave.

Investigação em andamento

Os representantes da empresa de escolta em que o segurança trabalhava, sediada em Santa Catarina, são esperados para prestar depoimento à Polícia Civil nesta tarde, de acordo com o superintendente.

Além do depoimento, a Polícia aguarda a apresentação de documentos para comprovar se o vigilante poderia atuar fora do estado de origem e se a situação da empresa e do funcionário estava legal.

Também são aguardadas as perícias das imagens e a verificação de existência de mais câmeras de segurança, segundo a polícia. Mais testemunhas serão ouvidas.

O vigilante está preso no Complexo Médico Penal, em Pinhais, também na Região Metropolitana de Curitiba.

Tiro após discussão

Caso aconteceu em um posto de combustíveis em Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba

Reprodução/RPC

O empresário Rodrigo Andreatta Ribeiro, de 42 anos, morreu após ser baleado pelo vigilante depois de um desentendimento entre os dois, segundo a polícia.

A confusão aconteceu depois que o ônibus e um caminhão, que também estava estacionado no posto, se envolveram em um pequeno acidente no local.

Como os dois veículos estavam trancando a saída das bombas de abastecimento dos caminhões, pediu ao motorista do ônibus para que retirasse o veículo do local. Foi nesse momento, afirmaram as testemunhas, que o vigilante sacou a arma e atirou no peito de Leonardo.

O ônibus escoltado por Luis Henrique tinha saído de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, e levava passageiros que tinham feito compras em São Paulo.

Veja mais notícias do estado em G1 Paraná.

Fonte: G1

Comunicar erro
Agro Noticia 728x90
Coronavirus 728x90