CPI: técnico responsável por minas de sal da Braskem fica em silêncio

Por Redação em 14/05/2024 às 13:09:23

Foto: Spz Online

O ex-engenheiro responsĂĄvel pela exploração das minas de sal-gema que afundaram em Maceió Paulo Roberto Cabral de Melo não respondeu, nesta terça-feira (14), a perguntas da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga as atividades da Braskem. Como resultado, ao menos 40 mil pessoas foram forçadas a se deslocar dos bairros afetados na capital alagoana.

A defesa de Paulo Roberto Cabral de Melo conseguiu um habeas corpus do ministro do Supremo Tribunal (STF), Alexandre de Moraes, para ter o direito de ficar em silĂȘncio na CPI. No inĂ­cio da sessão, o ex-engenheiro da mineradora fez um breve relato justificando seu silĂȘncio.

O engenheiro lembrou que é investigado e responde a inquérito policial. Ele disse que sofreu busca e apreensão na própria residĂȘncia, além de ter os sigilos fiscal, bancĂĄrio, telemĂĄtico e telefônico quebrados pela comissão do Senado.

"Por esses motivos, por orientação da minha advogada que me assiste e estĂĄ presente, eu não devo responder às perguntas relativas à minha atividade na Braskem ou denominações anteriores da empresa, apesar de respeitar o trabalho desta CPI."

Ainda assim, o relator da CPI, senador Rogério Carvalho (PT-SE), fez vĂĄrias perguntas a Cabral de Melo: "diversos problemas com as minas foram documentados ao longo do perĂ­odo de operação, tais como desmoronamentos. O senhor, como engenheiro de mina responsĂĄvel, levou essa situação ao conhecimento dos gerentes e diretores da empresa?", questionou.

"Ficarei em silĂȘncio, eminente senador", disse o investigado. O ex-técnico da Braskem começou a trabalhar nas minas de sal-gema em 1976, tendo sido o gerente da planta de mineração da empresa em Maceió até 1997.

Segundo o requerimento do relator que pediu a convocação do engenheiro, ele seguiu trabalhando para a Braskem após 1997 como consultor, por meio de sua empresa Consalt Consultoria Mineral Ltda, da qual é sócio-diretor.

Diante do silĂȘncio do ex-funcionĂĄrio da mineradora, o relator Rogério Carvalho citou o depoimento do investigado à PolĂ­cia Federal. "O senhor participou, sim, da contratação das empresas pelo que estĂĄ dito aqui no depoimento que o senhor deu à polĂ­cia". O senador acrescentou que o investigado assumiu todas as responsabilidades pela operação da mina no referido depoimento.

Instalada em 12 de dezembro de 2023, a CPI da Braskem deve apresentar o relatório final da investigação no Senado nesta quarta-feira (15), a partir das 9h. O texto final deve ser aprovado pela maioria do colegiado. O prazo para conclusão dos trabalhos da comissão é o próximo dia 22.

Fonte: AgĂȘncia Brasil

Comunicar erro
Agro Noticia 728x90