ONM 2

"Novo Plano Safra tem mais recursos e é 63% mais eficiente", diz Fávaro

Por Redação em 05/07/2024 às 22:45:35

O ministro da Agricultura, Carlos F√°varo, informou nesta sexta-feira (5), que o Plano Safra 2024/25, lançado na quarta-feira (3) pelo governo federal, tem 40% mais recursos comparados ao Plano Safra 2022/23, elaborado ainda sob a gestão do governo de Jair Bolsonaro. Para a safra 2024/25, que se iniciou em 1¬ļ de julho, o Ministério da Agricultura destinou R$ 400,59 bilhões para a agricultura empresarial, 10% mais do que a safra anterior, cuja pol√≠tica j√° havia sido estipulada pelo governo de Luiz In√°cio Lula da Silva. Em discurso durante cerimônia de entrega de m√°quinas agr√≠colas na sede da Federação das Ind√ļstrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), em Porto Alegre (RS), F√°varo citou também que os recursos para equalização de juros pelo Tesouro Nacional serão 32% maiores do que na safra 2022/23, ainda sob Bolsonaro, e 19,8% maiores do que a safra 2023/24.

"Teremos 40% mais recursos em um cen√°rio de custos 23% mais baixos, conforme c√°lculos ponderados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento)", comemorou o ministro. "Com 40% mais recursos e 23% menos custos, certamente teremos um Plano Safra 63% mais eficiente e abrangente, com maior cobertura e mais disponibilidade de recursos aos produtores." Em relação às instituições financeiras que poderão operar as linhas do Plano Safra 2024/25, F√°varo disse que, de um total de 21 no ano passado, este ano 25 vão trabalhar com o crédito rural subsidiado, "para que o produtor tenha mais opções e competitividade", disse o ministro. O titular da Agricultura lamentou não ter conseguido "a amplitude desejada" nos recursos para o seguro rural no Plano Safra 2024/25. "Mas, em um momento de escolha (de distribuição dos recursos), a prioridade tem de ser o Rio Grande do Sul, que é o Estado que mais precisa".

F√°varo lembrou que, no ano-safra passado, foram destinados ao Estado R$ 134,4 milhões para subvenção ao pr√™mio do seguro rural, em recursos ordin√°rios. Este ano, este valor subiu 17%, para R$ 157,4 milhões. Em relação aos recursos extraordin√°rios, o montante subiu 174%, para R$ 210,9 milhões. "Isso permitir√° que o Rio Grande do Sul tenha, neste ano-safra, R$ 368,8 milhões só para o seguro rural ". O ministro disse ainda que o n√ļmero de produtores ga√ļchos que devem contratar a subvenção ao pr√™mio do seguro rural este ano suba para 26 mil, de 12 mil na safra passada, ou 117% mais. J√° a √°rea de abrang√™ncia coberta pelo seguro rural no Rio Grande do Sul deve saltar de 669 mil hectares em 2023/24 para 1,2 milhão de hectares.

Quanto ao total assegurado, F√°varo citou que passar√° de R$ 5,5 bilhões em 2023/24 para R$ 11 bilhões em 2024/25 no RS. Os porcentuais de subvenção ao pr√™mio do seguro rural no Rio Grande do Sul também foram aumentados, disse F√°varo. Para a soja, por exemplo, em munic√≠pios em situação de calamidade p√ļblica, a subvenção sair√° de 20% para 40%. Para as demais culturas, de 40% para 60%. "Nos munic√≠pios ga√ļchos em estado de emerg√™ncia, a subvenção para o pr√™mio do seguro rural da soja sair√° de 20% para 30%", continuou o ministro. "Para as demais culturas, de 40% para 50%", descreveu. "Esta é uma forma de dar um m√≠nimo de segurança às fam√≠lias produtoras", finalizou.


Fonte: JP

Comunicar erro
Agro Noticia 728x90